PLANTÃO ÚLTIMO SEGUNDO

08 março 2007


SOCIEDADE HIPOCRITA OU HIPOCRITA SOCIEDADE?

Ser homossexual em qualquer lugar é motivo de piadinhas, de brincadeiras fúteis na maioria das vezes de baixo calão.Muitas das vezes esse tipo de ironia sarcástica acontece na própria família que não aceita que o filho ou filha possam assumir sua identidade sexual contraria ao que a sociedade determina como padrão.
Segundo Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, a palavra homossexual significa o individuo que pratica ou tem afinidade sexual com indivíduos do mesmo sexo. O gay, seja ele masculino ou feminino, sente prazer em esta próximo intimamente com indivíduos iguais fisicamente.
Mas se assumir gay ou lésbica perante a sociedade não é fácil. Com uma visão antiquada, voltada a doutrina religiosa e patriarcal, a sociedade não aceita a comunhão gay. Alega que Deus fez o homem para a mulher e vice versa, pois somente assim haverá amor e ocorrerá a perpetuação da espécie.
As atitudes hipócritas de determinados conjuntos de indivíduos, deixa claro o quanto o homossexualismo é repudiado. Expressões com “viado tem que apanhar para aprender ser homem”, é dita corriqueiramente. Travestis, gays, transformistas, são objetos de abusos físicos e morais nos guetos e ruas dos grandes centros urbanos.
A equidade, ou seja, o sentimento de justiça que impõe o reconhecimento dos direitos de cada um, ou um critério de julgamento legal, é motivo de luta do mundo homossexual. Ter o direito de ir e vir, de freqüentar os lugares com liberdade, de expressar seus sentimentos sem ser coibido pela sociedade é motivo de luta para os gays do mundo todo. Porem, paira uma pergunta: Desde quando há repudio aos gays na sociedade?
Sabe-se que Alexandre, O Grande imperador do reino da Macedônia era homossexual e o reino a quem ele dominava, aceitava sem haver repressão. A pratica homossexual entre os samurais chineses era na aceita no meio, como um fato corriqueiro. Porem com o advento do Cristianismo estimulado pela Igreja Católica Romana, os relacionamentos gays começaram a ser condenados. Eram tidas com transigências demoníacas e que tinha que ser abolidas.
Assim a Sociedade Ocidental, passou por uma lavagem cerebral, por parte daqueles que se diziam donos da veracidade. Transformaram-se em verdadeiras detentoras da hipocrisia, falsidades, demagogia, fascistas. As pessoas passaram a perder cada vez mais os seus direitos e ganhar mais deveres.
O Vaticano condena o homossexualismo. A felicidade das pessoas não interessa, o que verdadeiramente importa é o caminho que tem que ser trilhado para a salvação, se é que ela realmente existe.
Mas eles, as vitimas do terrorismo moral, vem lutando em busca dois seus direitos legais. Não através de pálidas atitudes, aquelas a serem aprovadas com Congresso Nacional. Mas sim, em grandes e verdadeiras marchas em prol da luta aos seus direitos, ao livre arbítrio em todo o mundo denominado de “Parada Gay”.
Eles estão tendo mais facilidade de conversar com as suas famílias sem ter o medo. Se assumir gay perante os pais ainda é difícil, mas já está começando a aparecer uma luz no final do túnel. Muitas mães e pais já estão aceitando as características, a opção sexual de seus filhos.
Laura Finocchiaro, cantora bissexual, autora do “Hino à Diversidade” tema da ultima Parada Gay de São Paulo, diz que “todos os homossexuais – masculino ou feminino – para serem aceitos tem que sair do armário. Fora do palco isso já virou regra.” Para ela não adianta esconder sua opção sexual, pois a felicidade não virá. Para o gay ser aceito ele tem que se aceitar.
A saciedade tem que deixar de lado, a idéia antiquada que ser gay é uma doença, ou então uma fase passageira da adolescência. O homossexual tem o direito de amar e ser amado, respeitar e der respeitado.
Para finalizar, nada melhor que um trecho do “Hino à Diversidade” de Laura Finocchiaro que cita de forma clara, singela e culta que todos somos iguais e que a vontade de “abraçar”, “acolher” as diferenças do próximo é de grande valia pra o intelecto dos indivíduos. “Abrace a diferença/viver é diferente/ se a gente diz que é gente/ não tem o que nos vença.”

Fagner Abrëu

9 comentários:

Rômulo Vianna disse...

Super interessante o texto!!!
Realmente o conteúdo do texto eh uma realidade atual,algo q precisa ser cotornado e abolido de uma vez da sociedade. Homofobia, racismo,etc. São sentimentos q trazem mal não só para as pessoas que sofrem mas tb para os q cometem, uma vez q a cada vez maior
o número de pessoas com interesse no mesmo sexo e de diversidade racial.
Boa iniciativa Fagner!!!
NÃO AO PRECONCEITO

vtm.bahia disse...

Grande Fauzito. É com prazer que eu venho aqui e deixo minhas palavras de elogio para você. Muito bem escrita essa postagem. Continue produzindo e certamente colherá frutos.

Jéssica brandão disse...

Primeiramente, parabéns pelo papel de parde do blog, como eu havia dito ficou muito melhor assim.
Segundo o texto ficou muito bom:Conteúdo, sensibilidade, fatos históricos,citações, e comparações. Um dos seu melhores...
P.S: Dê uma olhada em algumas frases, você trocou algumas letras. Fica digitando rápido menino...
Heheheheheheheheheheheh
Beijo!!!!!

Jéssica brandão disse...

Já ia esquecendo, as foto em alguns textos ficaram legais, deu uma leveza as postagens.

Guigo F.G. disse...

Fau,
é isso aí meu velho. Nós, seres humanos, independente da opção sexual, cor, crença, etc., temos que lutar contra os sentimentos ruins, que só servem para destruir a humanidade. Fora avareza, inveja, ódio...
Fora também desigualdade social e consumo exagerado.

Abraços!!!

Jeniffer disse...

Muito bom teu texto.
Eu acredito,que todo ser humano é livre para fazer o que quiser,com quem quiser.
Concordo também,que o primeiro passo para conseguir ser feliz nesta sociedade preconceituosa,é não ter preconceito de si mesmo,é se assumir,"sair do armario".
Vou colocar seu link no meu ;)
Beijos

Rafael Magnago disse...

Olá Fagner
Sou do X-Teens
Quando vi sei e-mail resolvi vir até aqui, não posso deixar de parabenizar pelo seu testo, eu no momento tenho entrado até em depressão por parte de minha família, que vê como isso mesmo, acha que estou doente, e isso tudo mais que você disse.

Minha família é de origem católica, depois que essa Benedita 16 assumiu o comando do exercito o negócio ficou pior aqui em casa, eles que dizem tanto pregadores do amor e tudo mais, assim como o mandamento: "Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a SI mesmo" será que eles estão realmente amando o próximo como devem? amar é matar um homossexual? excluí-lo da sociedade? ser tratado como aberração e doença? isso é uma coisa que acredito que nunca vou poder entender, realmente não. é uma sociedade muito hipócrita.

Mas deixemos o tonto de lado, um dia todos saberão o certo e o errado, ou se tem mesmo o famoso caminho da salvação.
Abração
Até mais
e mais uma vez parabéns
Rafael

Apenas Alguém disse...

olá fagner
agora vim aki comentar com meu blog novo
abração
té mais

eu sou o do post acima
é pq tive problemas com o blog e eu perdi a conta google, aff

té mais
Apenas Alguém

Vinícius Silva disse...

Olá Fagner, primeira vez que passo aqui pra ler o seu blog e me deparo com um texto tao bem escrito e desenvolvido. Eu concordo em genero, numero e grau contigo. A Igreja fica sempre querendo definir o caminho das nossas vidas e temos pessoas que caem nas asneiras que o nosso bendito papa Bento XVI fala.

As pessoas têm o direito de gostarem de quem quiser. De casarem com quem quiser, seja de sexos opostos ou do mesmo sexo. Realmente, em nossa sociedade, é dificil ser gay, ser negro, ser qualquer outra coisa que fuja dos padrões impostos por ela. O preconceito não está so no homosexualismo, mas como foi citado no seu texto, as pessoas precisam primeiramente se aceitarem, amarem a si proprio, para depois sairem do armario, parar de se esconder dentro de casa e finalmente ser livre para o mundo.

Abraços!