PLANTÃO ÚLTIMO SEGUNDO

19 fevereiro 2008



Morte do Rio Camurujipe


Não há como não perceber que o ar de Salvador está modificado. Bairros como Boca do Rio, Costa Azul e principalmente o Rio Vermelho está sofrendo com o mal cheiro do esgoto sanitário que é jogado onde um dia foram rios.

O Rio Camurujipe desemboca em dois bairros importantes de Salvador, o Costa Azul cortando paralelamente a Avenida Magalhães Neto e o Rio Vermelho pela Rua Lucaia chegando ao mar.

Todo o seu percurso dentro da cidade de Salvador está completamente poluído e o cheiro desagradável acentua-se cada vez mais na cidade. Em Salvador, a forma como se deu a construção do esgotamento sanitário da cidade foi e em uma parte considerável ainda continua sendo precária e de certa forma rudimentar. Segundo a engenheira ambiental da Embasa, Rita Bomfim, o sistema de esgotamento sanitário consistia na construção de vias de esgotos individuais que se dirigia para os rios e/ou mares, sem passar por nenhum tratamento.

O Rio Camurujipe antigamente encantava a população pela sua cor avermelhada. Esta coloração acontecia graças ao terreno arenoso que permeava o rio. Como o Rio Vermelho cresceu as margens do Rio Camurujipe as casas que ali se encontravam jogavam todos os seus dejetos no rio, fazendo com que o rio perdesse sua característica.

Com o Rio nessa situação os prejuízos para a população são enormes. A Praia do Rio Vermelho tornou-se imprópria para o banho. O mau cheiro incomoda moradores e transeuntes.

O Largo da Mariquita, por exemplo, sofre com o cheiro desagradável pois o esgoto corta a praça desembocando no mar. Lá existem várias casas comerciais, como oficina, padaria, pet shop, faculdades e até um restaurante. Todos os comerciantes têm o mesmo discurso, o mesmo posicionamento, reclamam sempre do mal cheiro.

O forte odor, além de levar prejuízo à saúde daquelas pessoas que precisam ficar um grande período exposto a ele, também traz prejuízo para comércio, pois acaba afastando os clientes. É o que afirma Paula Dautro, gerente da loja Campo Belo, especializada em produtos veterinários. Paula termina dizendo que alguns funcionários ao final de um dia de trabalho acabam apresentando fortes dores de cabeça, atribuídas ao mau cheiro.

Segundo EMBASA, no Rio Vermelho encontra-se um emissário submarino, ou seja, um duto que transporta esgoto sanitário após passar por um adequado tratamento nas estações. Ele foi construído sob o rio e segue em direção ao oceano e a sua retirada seria algo complicado, já que foi construído a uma grande profundidade.

Uma saída para a retirada do mau cheiro seria uma revitalização do rio. Mas o custo para isso seria muito alto. Assim o rio continua sem vida, poluído e com o cheiro desagradável para a população.

3 comentários:

claudisansil@gmail.com disse...

Olá Fau, tudo beleza na nova Facull, espero que sim...
Lembra de mim, Claudiana , das FJA... Pois é gostei muito dessa reportagem, ela é bem conhecida para mim, até a foto são bem familiares...
Entre no soteropolitanos.com lá tem uma como a mesma temática.
até mais...

Anônimo disse...

Caramba meu!!!!!!!!! Chatão isso!!!!!! Até a foto foi ctrl c ctrl v.... A matéria é boa, mas perdeu a assinatura mano!!!! Se liga!!!

Anônimo disse...

Realmente o mau cheiro é insuportável. Caminhões limpa fossa com adesivos da Petrobras despejam diariamente no rio dejetos não sei de quê na altura do bonocô. Mas a sujeira de Salvador não fica só nos rios, a cidade tem uma coleta de lixo irregular e insuficiente, alé de uma população muito pouco conciente da necessidade de respeitarmos o meio ambiente.